Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

GOVERNABILIDADE SEM MESTRE (padrão surrealpolitik):


Via feicibuqui do  Gilberto Maringoni

Não se governa sem Sarney,
Não se governa sem Maluf,
Não se governa sem Jader,
Não se governa sem Cabral,
Não se governa sem Katia Abreu,
Não se governa sem Kassab,
Não se governa sem agronegócio,
Não se governa sem evangélicos fundamentalistas,
Não se governa sem indicar a direita para o STF,
Não se governa sem deixar a Lei de Anistia como está,
Não se governa sem largar alguns companheiros pelo caminho,
Não se governa sem manter a institucionalidade tucana,
Não se governa sem privatizar,
Não se governa sem superávit primário,
Não se governa sem desonerar o capital,
Não se governa sem os juros mais altos do mundo,
Não se governa sem câmbio sobrevalorizado,
Não se governa sem encher a grande mídia de publicidade,
Pode-se governar assim por um tempo.
Pode-se ficar popular assim por um tempo.
Mas um dia, o tempo acaba.
E vai ser preciso governar sem tudo aquilo.
Sem os que acreditam que o cinismo
Seja boa argamassa para se construir um país