Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

O AMOR CONDENA




 
O amor condena

com a força que eu imaginava

caber apenas nas ditaduras.



O amor condena

e estou prestes

a cumprir nova pena.


(Itárcio Ferreira)


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

NOVÍSSIMA POÉTICA ILUSTRADA





A poesia sai de mim 

como vômito,

alivia meu organismo.



Quando escrevo, canso

e durmo:

êxtase após o gozo.



Não tenho musas

ou paixões,

só a repulsa de ser

um projeto de banquete

para os vermes.



Grande final!


(Itárcio Ferreira)
    

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ONDE MORA O AMOR?




Na infância aprendi que o amor

Morava em meu coração

E vinha de Deus.



Deveríamos amar pai e mãe, a família,

A liberdade, a pátria, os mais velhos,

Os inválidos.



Fazendo o ensino médio

Descobri que o amor vem do cérebro

E nada mais é do que reações químicas.



Na faculdade, estudando teologia,

Conheci os argumentos filosóficos

A favor da existência de Deus,

Mas também os contra a existência do mesmo “Deus”.



Pirei!

Misturei filosofia com cachaça,

História com maconha,

Crenças com poesia.



Aprendi que amar a família

É uma das características de vários animais.



A pátria é demarcada por urina

Por algumas espécies de mamíferos.



Velhos e desvalidos

São protegidos por manadas de elefantes

E grupos de primatas:

Neste ponto vim a perceber

Que o que chamamos de amor

E muito pequeno diante das atitudes

Solidárias dos macacos e elefantes,

Estes sim entendem o que é o amor.



Os mais velhos no capitalismo ou são predadores,

- banqueiros, financistas, generais, chefes de cartéis de drogas –

Que não merecem respeito de ninguém,

Ou caça: os trabalhadores, a quem devemos ser solidários,

Inclusive na luta, inclusive na revolução, inclusive na resistência.



O tempo urge, ruiva, foge.

Aos 50 anos tenho menos certezas

Do que tinha aos 12, 15 anos

- talvez fosse melhor ser um porco, que achas Platão?

Mas feliz! Talvez!



As hienas balançam suas jóias,

Em suas viagens internacionais,

Desfilam o último modelito exclusivo,

Com seus cartões de créditos sem limites,

Seus dentes e risadas, 

Causam-me medos, febres, tremores.



Quando me perguntam, ou me pergunto,

Onde mora o amor?

Olho em volta de mim

E vejo apenas os párias

Os desvalidos, os esquecidos,

Os abandonados, os invisíveis,

Os indesejáveis, os violentados, os injustiçados

Em seus mínimos direitos, em suas mínimas necessidades.



Respondo:

Não sei onde mora o amor,

Sequer sei o que é o amor.


(Itárcio Ferreira)

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

5 POEMAS DE SOLANO TRINDADE, O POETA NEGRO

(Liberto, filho de Solano Trindade e Gal Martins)


CANTO DOS PALMARES (trechos)
“Ainda sou poeta
meu poema
levanta os meus irmãos.
Minhas amadas
se preparam para a luta,
os tambores
não são mais pacíficos
até as palmeiras
têm amor à liberdade”.





POEMA AUTOBIOGRÁFICO
“Quando eu nasci,
Meu pai batia sola,
Minha mana pisava milho no pilão,
Para o angu das manhãs…
Portanto eu venho da massa,
Eu sou um trabalhador…

Ouvi o ritmo das máquinas,
E o borbulhar das caldeiras…
Obedeci ao chamado das sirenes…
Morei num mucambo do “”Bode”",
E hoje moro num barraco na Saúde…

Não mudei nada…”



OLORUM ÈKE **
“Olorum Ekê
Olorum Ekê
Eu sou poeta do povo
Olorum Ekê

A minha bandeira
É de cor de sangue
Olorum Ekê
Olorum Ekê
Da cor da revolução
Olorum Ekê

Meus avós foram escravos
Olorum Ekê
Olorum Ekê
Eu ainda escravo sou
Olorum Ekê
Olorum Ekê
Os meus filhos não serão
Olorum Ekê
Olorum Ekê”

** Olorum Ekê: “povo do Santo forte”, termo Iorubá.



NEM SÓ DE POESIA VIVE O POETA **
“Nem só de poesia vive o poeta
há o “fim do mês”
o agasalho
a farmácia
a pinga
o tempo ruim, com chuva
alguém nos olhando
policialescamente
De vez em quando
um pouco de poesia
uma conta atrasada
um cobrador exigente
um trabalho mal pago
uma fome
um discurso à moda Ruy
E às vezes uma mulher fazendo carinho
Hoje a lua não é mais dos poetas
Hoje a lua é dos astronautas.”

** poema inédito até 2008, quando foi revelado por sua filha Raquel.



GRAVATA COLORIDA
“Quando eu tiver bastante pão
para meus filhos
para minha amada
pros meus amigos
e pros meus vizinhos
quando eu tiver
livros para ler
então eu comprarei
uma gravata colorida
larga
bonita
e darei um laço perfeito
e ficarei mostrando
a minha gravata colorida
a todos os que gostam
de gente engravatada…”



Via ..eu passarin..