Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

DRINQUE




Tenho ao alcance da minha,
a tua solidão.

Por que não te procuro?


Por que vago na noite sem ti?


Na mão, uma cuba libre,

na vitrola, Elis,
na estante, A Ilha.

No meu país vagam

o mesmo medo, a mesma dor,
a mesma mágoa.

O fim é de um romance barato,

de um poema arcaico,
morrer, morrer de amor. 

(Itárcio Ferreira)