Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Quantos universos existem?

post-feature-image

O fato de ninguém saber a resposta para esta pergunta é o que a torna excitante. A história da Física tem sido de compreensão, continuamente crescente, da imensa escala da realidade. Chegamos ao ponto em que os físicos estão agora a postular que talvez possa haver muitos mais universos para além do nosso. Chris Anderson explora as implicações emocionantes desta ideia.

Às vezes, quando estou em um longo voo, contemplo todas aquelas montanhas e desertos e tento entender como a Terra é vasta. E então me lembro de um objeto que vemos todos os dias, em que caberiam, literalmente, um milhão de Terras.

O sol parece incrivelmente grande, mas no grande esquema das coisas, é uma picada de agulha. Uma de 400 bilhões de estrelas da Via Láctea, que você pode ver como uma névoa branca e pálida através do céu em uma noite clara. E fica pior.

Talvez haja 100 bilhões de galáxias detectáveis por telescópio, então, se cada estrela fosse do tamanho de um grão de areia, só a Via Láctea teria estrelas suficientes para encher de areia uma faixa de praia de 9 x 9m e 90cm de profundidade. E não há na Terra praias o suficiente para representar todas as estrelas do universo. Tal praia continuaria por literalmente centenas de milhões de quilômetros.

Santo Stephen Hawking, é muita estrela! Mas ele e outros físicos, agora, acreditam em uma realidade inimaginavelmente maior. Quero dizer, as 100 bilhões de galáxias ao alcance de nossos telescópios são provavelmente uma minúscula fração do total.

O próprio espaço está se expandindo em um ritmo acelerado. A grande maioria das galáxias está se separando de nós tão rapidamente que, talvez, a luz delas nunca nos alcance. Ainda assim, nossa realidade física aqui na Terra está intimamente conectada a essas galáxias distantes e invisíveis.

Podemos pensar nelas como parte do nosso universo. Elas formam um edifício único e gigante, obedecendo às mesmas leis físicas e são feitas dos mesmos tipos de átomos, elétrons, prótons, quarks e neutrinos, dos quais somos feitos você e eu.

Contudo, teorias recentes na física, incluindo a chamada teoria das cordas1, estão nos dizendo que podem existir outros incontáveis universos, construídos por diferentes tipos de partículas, com diferentes propriedades, obedecendo à diferentes leis. A maioria desses universos nunca poderiam sustentar vida, e poderiam existir e inexistir em um nanosegundo, mas, combinados, formam um vasto multiverso de possíveis universos, em até 11 dimensões, exibindo maravilhas além da nossa mais louca imaginação. E a principal versão da teoria das cordas prediz um multiverso constituído de 10 elevado a 500 universos.

É um 1 seguido de 500 zeros, um número tão vasto que se cada átomo em nosso universo observável tivesse seu próprio universo e todos os átomos em todos esses universos tivessem seus próprios universos, e você repetisse isso por mais dois ciclos, ainda teria uma ínfima fração do total chamada, um trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilhão de trilionésimo.

Mas mesmo este número é minúsculo comparado a outro número: infinito. Alguns físicos pensam que o contínuo espaço-tempo é literalmente infinito, e contém um número infinito dos chamados 'universos de bolso' com propriedades variáveis.

E seu cérebro, como está? Mas, a teoria quântica acrescenta um novo desdobramento. Quero dizer, ficou provado que a teoria é verdadeira, mas é desconcertante interpretá-la.

E alguns físicos pensam que você só consegue entendê-la se imaginar que um número imenso de universos paralelos esta surgindo a todo instante, e muitos desses universos seriam bem parecidos com o mundo em que vivemos, incluindo múltiplas cópias de você mesmo. Em um universo assim, você se formaria com honras e casaria com a pessoa dos nossos sonhos. Em um outro, não seria bem assim. 

Há, ainda, alguns cientistas que diriam: que bobagem. A única resposta significativa para quantos universos existem é: um, somente um universo. E uns poucos filósofos e místicos podem argumentar que até o nosso próprio universo é uma ilusão. Portanto, como pode ver, não há consenso sobre esta questão, não há mesmo. O que sabemos é: a resposta está entre zero e infinito.

Bem, penso que sabemos uma coisa: É uma época bem legal para estudarmos física. Podemos estar passando pela maior mudança de paradigma no conhecimento já vista pela humanidade.