Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

QUADRILHA, poema de Itárcio Ferreira

 

Plagiando Drummond

Itárcio amava Emília que amava Itárcio, mas eram tão crianças.
E o amor não passou de uns verões em Pontas de Pedras.
O tempo, esta quadrilha, roubou-me a inocência.
De Emília nunca mais tive notícias, se casou, se amou, se morreu.
O amor, costuma vir visitar-me de tempos em tempos.
Mesmo sem ser convidado, deita-se em minha cama,
Abusa de minha intimidade, bebe minhas cervejas, faz dívidas que tenho que pagar.
Ah os agiotas! As amantes e o delírio.
Cansado, acostumou-se a abandonar-me, quando penso que o aprisionei.
Será a solidão minha penúltima morada?