Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quinta-feira, 6 de março de 2014

Trem de Alagôas, poema de Ascenso Ferreira



Viajo hoje para o interior do Estado. Antes dou uma passada na casa dos meus pais, em Aldeia. Vou para Santa Cruz do Capibaribe rever amigos, parentes, tomar umas cervejinhas, uma cana com capão, conversar. Santa Cruz não foi afetada pelas últimas chuvas que caíram em Pernambuco e Alagoas, diferentemente de outras dezenas de cidades atingidas. Dentre elas, Palmares e Barreiros, onde tenho amigos que perderam tudo. Lá no trabalho, através do nosso Sindicato e da Coordenadoria de Administração, estamos arrecadando dinheiro, roupas, colchões e água mineral para os irmãos desabrigados, como forma de trazer algum “conforto” imediato, neste momento de dor, que só quem vive na pele pode saber a verdadeira dimensão. Volto a Recife no dia 28/06. Deixo a vocês um poema de um filho de Palmares, o poeta Ascenso Ferreira. Abraços a todos!

(Itarcio Ferreira, 23/07/2010)

******


Trem de Alagôas


O sino bate,

o condutor apita o apito,
Solta o trem de ferro um grito,
põe-se logo a caminhar…

- Vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende,
vou danado pra Catende
com vontade de chegar...

Mergulham mocambos,

nos mangues molhados,
moleques, mulatos,
vêm vê-lo passar.

Adeus !

- Adeus !

Mangueiras, coqueiros,

cajueiros em flor,
cajueiros com frutos
já bons de chupar...
- Adeus morena do cabelo cacheado !

Mangabas maduras,

mamões amarelos,
mamões amarelos,
que amostram molengos
as mamas macias
pra a gente mamar

- Vou danado pra Catende,


vou danado pra Catende,
vou danado pra Catende
com vontade de chegar...

Na boca da mata

ha furnas incríveis
que em coisas terríveis
nos fazem pensar:

- Ali dorme o Pai-da-Mata

- Ali é a casa das caiporas

- Vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende
vou danado pra Catende
com vontade de chegar...

Meu Deus ! Já deixamos

a praia tão longe…
No entanto avistamos
bem perto outro mar...

Danou-se ! Se move,

se arqueia, faz onda...
Que nada ! É um partido
já bom de cortar...

- Vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende
vou danado pra Catende
com vontade de chegar...

Cana caiana,

cana rôxa,
cana fita,
cada qual a mais bonita,
todas boas de chupar...
- Adeus morena do cabelo cacheado !

- Ali dorme o Pai-da-Matta !

- Ali é a casa das caiporas

- Vou danado pra Catende,

vou danado pra Catende
vou danado pra Catende
com vontade de chegar...

(Ascenso Ferreira)