Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

domingo, 2 de março de 2014

Graças aos bons deuses não sou obrigado a fotografar, contrariado e burocraticamente. Os fotógrafos da mídia corporativa sabem do que estou falando.

Não tenho o que reclamar da vida. Sempre gostei de gente. Jornalista é um apaixonado por histórias. Por se relacionar com pessoas. Por singularidades. Antes de escrever é preciso saber escutar. Daí a subversão. Quando vivo situações como esta sinto que sou apaixonado pela profissão. Pela vida. Não consigo controlar a curiosidade. Fico emocionado.





O casal Adriane e Lino com a filha Nicole de dois anos. Adriane tem 
uma lesão de medula e Lino uma doença muscular.



Adriane e Nicole, mãe e filha em relação de inteiro afeto. Em alguns momentos Nicole mamou no peito. Elas estavam lindas. Alegres.



Adriane cuida da filha e da casa. Lino é um Dijei. Estava trabalhando em casas do Rio de Janeiro. Não tinha como o bar não parar para olhar a harmonia dos três. Este detalhe era que chamava a atenção. 

Foram super atenciosos comigo. O Dijei Lino estava feliz.

Tive um lição de vida por estas imagens. Fotojornalismo não é cenografia. É uma pena que algo tão visceral toque a alma de tão poucos. Vou dar aula de quê?

Jornalismo está na alma encantada das ruas. Com tempo e treino, sem jamais perder a sensibilidade e a humildade, um dia ainda vou conseguir ser um anarcojornalista.