Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Site apresenta tesouros do cinema mundial. Legendados e grátis




O surrado chavão sobre o futebol, de que ele é uma caixinha de surpresas, vale perfeitamente para a internet.


Em meio a tanto lixo, tanta porcaria descartável, pode-se encontrar na rede tesouros inimagináveis em todas as áreas do conhecimento humano.


Não é segredo para ninguém que a internet está infestada de obras de arte - e outras nem tanto -, disponíveis para todo mundo.


Milhares de livros, filmes e músicas, por exemplo, podem ser usufruídos livremente. 


É só procurar.


O problema é que a maior parte desse material é pirateado, ou seja, não paga direitos autorais, e assim corre o risco de sumir da rede de um dia para outro, se a burla for descoberta.


O Youtube está coalhado de filmes de todos os tipos, anos e gêneros, alguns até em bom estado, outros nem tanto. 


Para quem tem tempo livre para fuçar o quase inesgotável arquivo do site e não se importa com essa questão de direitos autorais, o Youtube é uma mina de ouro.


Mas ele não funciona para o cinéfilo interessado em obras de arte, aquelas que realmente contam para a evolução da linguagem cinematográfica. 


Para esses, foi lançado no começo do ano um site que deve virar referência no assunto, o Cinema Libre, que já tem um acervo de 300 filmes em domínio público, legendados, muitos deles joias raras.

O responsável pelo Cinema Libre é Lucas Bombonatti. 


Ele conta que a ideia de criar o site partiu "da busca por uma alternativa à pirataria, que infelizmente tornou-se a única maneira de ter acesso a certos filmes, pois a distribuição de filmes antigos é muito ruim". 


Segundo Lucas, o Cinema Libre tem a intenção de proporcionar "um espaço para filmes antigos sem que se esteja passando por cima dos direitos de seus autores".


Nesse seu trabalho, ele recebe a ajuda de amigos e familiares para encontrar os filmes e colocá-los à disposição do público, "sendo que grande parte já está no Youtube", diz.


Lucas informa ainda que boa parte do acervo do Cinema Libre já está disponível na internet.


"A dificuldade maior é com as legendas, que são raras e muitas vezes difíceis de encontrar. Alguns filmes sequer possuem legendas em português e isso acaba gerando alguns empecilhos e assim alguns filmes estão na lista de espera", afirma.


Lucas está se dedicando agora a montar uma equipe para poder levar mais inovações ao site e também aumentar o seu acervo.


O cinéfilo que acessar o Cinema Libre pode ter um ataque do coração, ao encontrar desde as primeiras produções, datadas do fim do século XIX, a obras-primas da era do cinema mudo e das décadas de 30 e 40, além de filmes brasileiros que muitos julgavam perdidos.


Está tudo lá. 


Só vendo para acreditar.