Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Disco “novo” dos Beatles

beatles_chemistry_tape

Via NADA
Todos sabemos que a web — assim como a Realidade — é um infinito mar de possibilidades. E que nela podemos encontrar a mais diversa gama de coisas possíveis (e impossíveis também), de receitas de comidas exóticas à explicações quânticas sobre o Universo, passando por esportes, extraterrestres, pornografia e qualquer outra coisa que nos der na telha.
Tenho o hábito de, sempre que possível, navegar à deriva por este mar, pulando de link em link, de dica em dica, descobrindo assim tanto coisas incríveis quanto outras nem tão interessantes assim; fora as coisas bizarras, possivelmente a grande maioria delas. Ainda assim, vezoutra a sorte chega e aparecem coisas incrivelmente bizarras (minhas favoritas!), como esta que agora compartilho com vocês. Cheguei até isso quando entrei para conhecer o blog Universo D, após Delta9, seu autor, deixar um comentário no post sobre o Moondog.
James Richards é um figura que criou um site para compartilhar duas coisas muito curiosas: um suposto disco inédito dos Beatles, e a história de como ele o conseguiu. O disco se chama “Everyday Chemistry” e teria sido gravado pelo Fab Four numa realidade paralela à nossa, na qual os quatros ainda estariam vivos e tocando juntos. “Essa história tá muito estranha”, alguns leitores devem estar pensando. Acalmem-se amigos: a coisa piora quando James explica como conseguiu tal disco.
Segundo relato do próprio, ele estava dirigindo com seu cachorro, voltando da casa de um amigo sem ter muito o que fazer e por isso resolveu fazer um caminho alternativo pela estrada de um canyon (Del Puerto Canyon, San Antonio, California). No meio do caminho, percebeu que seu cão queria usar o banheiro e encostou o carro. O cão saiu correndo atrás de um coelho, James foi atrás e tropeçou num buraco (também de coelho), bateu a cabeça e desmaiou. Ao acordar, ele estava na casa de um tal de Jonas, na tal dimensão paralela, muito similar à nossa, porém com pequenas diferenças, como o fato de terem tecnologia disponível para efetuarem as tais viagens interdimensionais. E foi durante uma dessas que Jonas viu James caído e resolveu socorrê-lo.
Além disso, durante suas especulações para diferenciar as realidades, acabaram caindo no assunto música. Papo vai, papo vem, chegaram nos Beatles. Tudo bem, a banda existe em ambas as dimensões, e dái? Daí que Jonas comentou que seu irmão havia ido recentemente a um show deles. Sim, naquela dimensão os quatro estão vivos e fazendo turnês! Além disso, na coleção de sete K7s (isso, fita cassete — aparentemente, naquela realidade o CD não fora inventado) dos Beatles de Jonas, quatro eram desconhecidos por James, que pediu uma cópia, mas Jonas se recusou, dizendo que, por segurança, nenhum objeto deve ser transportado entre diferentes realidades. Resumindo essa história maluca (que pode ser lida na íntegra aqui, em inglês), James esperou Jonas sair da sala e pegou um dos K7s “inéditos” dos Beatles. Como apenas um deles havia sido comprado e os outros seis eram cópias feitas por uma amiga de Jonas (sim, a “pirataria” existe lá também), não continham capa ou informações técnicas, apenas título e tracklist.
beatles_chemistry_case
Ouvi o disco pelo menos meia dúzia de vezes antes de escrever este post e posso dizer que, independente da história de James ser real ou não, o album é bom! São onze canções que logo na primeira ouvida me soaram familiar, e olha que nem sou tão beatlemaníaco assim. De modo geral, o disco soa como um mashup muito, mas MUITO bem feito mesmo, construído a partir de músicas dos discos solos dos integrantes (em especial do Macca, fora algumas baterias eletrônicas muito “modernas” para o Fab Four da nossa dimensão), remixadas, remexidas e reconstruídas.
Enfim, vale muito a pena ouvir a piração do tal James. Tomara que ele consiga “resgatar” os outros discos “inéditos” encontrados na casa de Jonas…
Para quem tiver curiosidade, o disco “Everyday Chemistry” pode ser baixado na íntegra aqui.