Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

sábado, 7 de março de 2015

GOVERNO COMO ARTISTA



1

Na construção de palácios e estádios

Gasta-se muito dinheiro. Nisso

O governo se parece com o jovem artista que

Não teme a fome, quando se trata

De tornar seu nome famoso. No entanto

A fome que o governo não teme

É a fome de outros, ou seja

Do povo.

2

Assim como o artista

O governo dispõe de poderes sobrenaturais

Sem que lhe digam algo

Sabe de tudo. O que sabe fazer

Não aprendeu. Nada aprendeu.

Sua formação tem falhas, entretanto

É magicamente capaz

De em tudo interferir, tudo determinar

Também o que não compreende.

3 

Um artista pode, como se sabe, ser um tolo e no entanto

Ser um grande artista. Também nisso

O governo parece um artista. Dizem de Rembrandt

Que ele não pintaria de outra maneira, se tivesse nascido sem mãos

Assim também pode-se dizer do governo

Que não governaria de outro modo

Tivesse nascido sem cabeça.

 4

Espantoso no artista

É o dom da invenção. Quando ouvimos o governo

Descrevendo a situação, dizemos

Como inventa! Pela economia

O artista tem apenas desprezo, e bem assim

É notório como o governo despreza a economia. Naturalmente

Ele tem alguns ricos patronos. E como todo artista

Vive do dinheiro que arrecada.


Bertolt Brecht