Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

domingo, 2 de maio de 2010

UM POEMA DE AMOR



Quando te vi,
não sei o que pensaram meus olhos.


Não que meus olhos tenham-te esquecido,
sequer alguma parte do teu corpo.

Sempre te vi, e sempre te desejei.
Que força me joga a ti?

E ao suicida do décimo sexto andar?


Quando te vi,
não sei se tive vontade de morrer
ou de te dar um beijo.


Um longo e molhado beijo,
daqueles que nunca te dei.



(Itárcio Ferreira)