Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

quinta-feira, 16 de maio de 2013

POEMA PARA ELIS





                       

Sei que dói,

dói em mim a tua morte.



Talvez doa mais naqueles que te conheceram,

te tocaram, te falaram,

talvez doa mais,

talvez.



Mas o que dói mais, Elis,

é a morte daqueles

que nada deixaram gravado,

nada deixaram escrito,

nada deixaram.



O que mais me dói, Elis,

e sei que também doía mais em ti,

é a morte daqueles que morrem famintos,

(de pão e de justiça)

sim, Elis,

parece incrível,

todos os dias.


(Itárcio Ferreira)