Aos Mestres, com carinho!

Aos Mestres, com carinho!
Drummond, Vinícius, Bandeira, Quintana e Mendes Campos

segunda-feira, 7 de junho de 2010

SE NÃO CANTO, PELO MENOS GRITO

(Edvard Munch)

Meus poemas não cantam amores utópicos.
Não são instrumentos da falsa
moral.
Não apóiam a d
e
c
a
d
e
n
t
e sociedade.

Meus poemas são tiros
nos corações,
são bombas,
bombas de esperança,
são gritos,
gritos de dor,
de ré
volta,
de fome.

Canto os desencantos,
canto o verdadeiro amor,
canto a luta,
canto a não-derrota.

Meus poemas são feitos de palavras
que traduzem
as vossas palavras.

São feitos de palavras
que, de repente,
a garganta expulsou,
num momento de honestidade,
num momento de grito.

Canto e grito:
eis o poema.

Grito mais do que canto,
canto menos do que grito,
se não canto, pelo menos grito.


(Itárcio Ferreira)